Aberto de segunda a sexta, Nossa Feira tem cuidado extra com covid-19

Nos nove pontos do Nossa Feira, a experiência de compra de frutas e verduras frescas tem sido diferente desde a chegada do novo coronavírus a Curitiba. Como os hortifrútis são vendidos nestes locais da Prefeitura em uma única tenda, a Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN) estabeleceu cuidados extras para que os pontos possam funcionar de forma segura durante a pandemia. 

Fila com distânciamento entre os fregueses, número limitado de pessoas comprando ao mesmo tempo e álcool em gel na entrada e saída das tendas são as medidas adotadas para controlar a propagação do vírus nos pontos do Nossa Feira. Todos, obrigatoriamente, também devem estar usando máscara. 

O programa Nossa Feira comercializa, ao preço único de R$ 2,29 o quilo, frutas, legumes e verduras cultivados por agricultores familiares de cooperativas da Grande Curitiba.

Luiz Maskow, gerente de Feiras da SMSAN, lembra que, por determinação do prefeito Rafael Greca, o Município precisa garantir aos moradores da cidade o acesso à comida saudável mesmo em tempo de pandemia. “Espaços da cidade que comercializam frutas e legumes frescos, como os Nossa Feira, feiras livres, Sacolões da Família e mercados municipais, são fundamentais para ajudar a elevar a imunidade e nos proteger do coronavírus”, reforça ele. 

Moradora do bairro Centenário, a aposentada Regina Strapasson, 62 anos, não se incomoda de esperar na fila para poder adquirir frutas e verduras no ponto do Nossa Feira do bairro, que ocorre toda terça-feira, a partir das 15h. “Fica bem perto de casa, a gente não precisa se deslocar muito para comprar os produtos, que são sempre de boa qualidade, têm muita variedade e são frescos”, afirmou ela, na última terça-feira (14/7). 

O aposentado Luciono Avanci, 72 anos, também esperava na fila para fazer compras no Nossa Feira do Centenário e aprovou a regras determinadas pela Prefeitura durante a pandemia. “A gente precisa entender que todos estes cuidados são importantes para que ninguém pegue a doença e também a gente possa comprar os produtos”, justificou ele. 

A dona de casa Marlene Salete Ferreria, 63 anos, foi uma das primeiras a chegar ao ponto no Centenário e, rapidamente, fez suas compras de hortifrústis da semana. “Sim, a gente precisa ter paciência. Mas, vale a pena, pois as frutas e verduras são muitos boas e o preço imbatível”, garante ela. 

Dias e horários

Os pontos do Nossa Feira ocorrem de segunda a sexta-feira, das 15h às 21h, na Praça 19 de Dezembro,  no Centro;  e Jardim Primavera, no Uberaba (segundas);  Rua Brasílio José Betezek, no São Braz, e Avenida Jornalista Aderbal Gaertner Stresser, no Centenário (terças);  Avenida Anita Garibaldi, próximo ao Parque Barreirinha, e Rua São Vicente de Paulo, no Campina do Siqueira (quartas); Rua Conde dos Arcos, no Lindoia, e Rua José Morais, no Pilarzinho (quintas); e  Rua Jorge Barbosa, no Boa Vista (sextas).

Além da tenda com hortifrútis, os locais contam com traillers de frios/embutidos e de salgados, que também precisam seguir regras de distanciamento e higiene.  

Saiba mais como chegar aos pontos do Nossa Feira.